Imagem de repórte com pessoas atrás, no intuito de aparecerem na reportagem.

Os ‘Papagaios de pirata’ do Rio

Papagaios de pirata colecionam gafes e risos em reportagens de TV

A repórter acaba de se pentear. Está prestes a entrar ao vivo com imagens do Theatro Municipal do Rio, onde é velado o corpo da cantora Elza Soares. Os termômetros da praça da Cinelândia beiram os 40°C na manhã de sexta-feira (21).

Assim que ela inicia a transmissão, três senhores se posicionam estáticos ao fundo da imagem, do outro lado da calçada. São eles Nil Ramos Soares, 77; Oseias da Conceição, 51; e Célio Barreto, 74.

O trio é conhecido como “papagaios de pirata” do jornalismo televisivo. O termo é uma alusão a anônimos que fazem de tudo para aparecer como figurantes em reportagens de TV.

Nos anos 1990, o grupo era um sexteto que, com o tempo, foi se desfazendo (alguns faleceram) e se mantém atualmente como um trio de papagaios inquietos.

O pernambucano Nil Ramos Soares é o mais antigo em atividade. Está na cidade há mais de 50 anos e, há 30, se dedica a “sobrevoar” os repórteres de rua.

Nil é tão conhecido dos cariocas, que sempre interrompe suas caminhadas para fazer selfie ou cumprimentar quem o identifica. “Entro no ônibus e me chamam, ando até a padaria e me apontam, vou ao mercado e a caixa diz que me conhece de algum lugar. Adoro a fama, gosto de ser notado, me faz bem”, diz ele, com os parceiros Oseias e Célio a tiracolo.

Apenas Célio não é chegado a entrevistas. Os amigos ainda assim o incentivam ele a falar: “Para de besteira! Essa reportagem é toda só pra gente! Vai ter até foto”, diz Nil, o mais animado. “Sou tímido pra falar, meu negócio é aparecer”, responde Célio.

Vida de figurante

A paixão de Nil pela notoriedade começou, curiosamente, quando visitou uma estação de rádio, ainda em Recife. Tinha 14 anos quando foi a um programa matinal contar piadas. Ao voltar para casa, os vizinhos lhe parabenizaram. “Vi que era legal ser famoso e investi na carreira”, diz. “Mudei pro Rio e tirei DRT [registro] de ator. Pago até sindicato dos artistas. Quer dizer, deixei de pagar há três anos, porque fiquei apertado.”

Um dia, parou ao lado de um político, de que não lembra o nome, dando entrevista na rua. Era o começo dos anos 1990. Gostou da repercussão. Desde então, procura câmeras pelas ruas. É cheio de histórias. Hoje aposentado, conta que dançou com Adele Fátima em 1988 nos palcos da TV Record num especial de Natal; foi mordomo do José Wilker em “O homem da capa preta”, filme de 1986; fez figuração em “Os Trapalhões no reino da fantasia”, de 1985. E aparecia vendendo pães numa birosca na primeira versão de “O Sítio do Pica-Pau Amarelo”.

Sebastião Soares não é conhecido de ninguém, como foi registrado. Nil é nome artístico. Mesmo com 1,50m de altura, não passa incólume pelas câmeras. Está sempre de chapéu de veludo preto. “É pra lembrar do Waldick Soriano, meu ídolo, o cantor de ‘Eu não sou cachorro, não’. Mas pode ser também uma homenagem a Paulo Gustavo, porque é bom falar dele. Virou até nome de rua!”, diz, lacônico. Sem filhos, mora sozinho em Niterói (RJ).

Valmir Moratelli – Colaboração para o TAB, do Rio 27/01/2022 04h01

Fonte: https://tab.uol.com.br/noticias/

Governador do Rio, Claudio Castro, acompanhando dragagem de córrego na favela do Jacar´ezinho.

Rio: obra de saneamento prevê remoção de 800 famílias do Jacarezinho

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

Cerca de 800 famílias, que vivem às margens dos rios Jacaré e Salgado, na comunidade do Jacarezinho, na zona norte do Rio, devem ser removidas do local no segundo semestre deste ano. Os moradores terão que sair por causa das obras de saneamento em andamento na região.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) iniciou na segunda-feira (24) intervenções de limpeza e de desassoreamento, com retirada de entulhos e materiais que obstruem o escoamento natural dos dois rios. As obras fazem parte do Programa Cidade Integrada que o governo do estado desenvolve no Jacarezinho e na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade.

Segundo o Inea, para o segundo semestre, estão previstas obras de canalização do Rio Salgado; urbanização do entorno, com criação de espaços públicos de lazer; calçamento; implantação de ciclovias e pavimentação dos espaços públicos que margeiam o rio. O Inea informa que, após essa fase, será discutido com a comunidade o melhor modelo de reassentamento.

O instituto informou que o número de famílias que vivem em áreas de risco e deverão ser removidas é uma estimativa inicial e que as dimensões da faixa marginal de proteção vão variar, embora boa parte dos pontos invadidos seja de 2,5 metros.

Em resposta à Agência Brasil, o instituto informou que, nos próximos dias, técnicos do estado vão visitar visitar cada imóvel para traçar o perfil socioeconômico dos moradores. O melhor modelo para indenizar as famílias, seja por reassentamento ou indenizações pelas benfeitorias, ainda será discutido com a comunidade, acrescentou o Inea.

Nos dois primeiros dias de limpeza e desassoreamento dos rios, a Secretaria de Estado do Ambiente e o Inea retiraram 150 toneladas de resíduos. Estão previstos gastos de R$ 147 milhões, e as obras devem ser concluídas em até 32 meses.

O secretário do Ambiente, Thiago Pampolha, disse que o Programa Cidade Integrada foi planejado para garantir qualidade de vida e segurança ambiental para a população. “A Secretaria do Ambiente e o Inea vão atuar para que os moradores não sofram mais com o impacto das chuvas na região”, afirmou.

Inclusão

O Programa Cidade Integrada também prevê atividades para crianças e jovens na região do Jacarezinho. Na área de cultura, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa  e a organização não governamental (ONG) Ação Social pela Música, assinaram termo de cooperação técnica que abre inscrições para aulas de música na sede da Orquestra da Biblioteca Parque de Manguinhos, onde poderão ser feitas as inscrições. Os interessados devem levar identidade, CPF e comprovante de residênci,a que pode ser em nome de pais ou responsáveis.

O objetivo do projeto de inclusão social é transformar a vida de crianças e jovens das comunidades. Promovido pela Ação Social pela Música, o projeto tem parceria com a operadora Claro, por meio da da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e apoio da Superintendência de Leitura e Conhecimento da Sececrj. A perspectiva é atender até 150 alunos com idade a partir de 10 anos.

A orquestra será formada por jovens das comunidade de Manguinhos, Jacarezinho e localidades do entorno, que terão aulas de teoria musical e aprenderão a tocar o instrumento escolhido.

Segundo a diretora e fundadora da Ação Social pela Música, Fiorella Solares, o projeto trabalha tanto na inclusão socioeducativa quanto na cultural. “Durante as oficinas, o aprendizado é realizado em grupo, para incentivar a interação social. Aliado às aulas de música, também garantimos reforço escolar aos alunos que precisam desse apoio. Nossa proposta é ocupar o tempo desses jovens para que eles não tenham sua trajetória desviada para o caminho errado”, acrescentou.

Apreensão

Além das obras do Cidade Integrada, continuam as ações de ocupação de território para combate ao tráfico de drogas no Jacarezinho, que também fazem parte do programa.

Ontem (25), policiais civis da 35ª Delegacia de Polícia (DP) apreenderam na comunidade cerca de 200 quilos de maconha e skunk, uma espécie mais forte de maconha. A droga foi localizada sob o telhado de um galpão abandonado nas proximidades do Campo do Abóbora, após levantamento de dados de inteligência. A ação teve apoio do Departamento Geral de Polícia Especializada e do Departamento Geral de Polícia da Capital.

Ocupação

Segundo o governador do Rio, Cláudio Castro, as ações operacionais conjuntas das polícias Militar e Civil no Jacarezinho e na Muzema, que começaram há uma semana, consolidaram a retomada de território nas duas comunidades e representam o primeiro passo para implantação do programa, além de garantir o direito de ir e vir de cerca de 50 mil moradores.

Castro disse que a ação das polícias possibilitou as primeiras intervenções urbanas pelos setores da administração para viabilizar o Programa Cidade Integrada, cujo objetivo é levar desenvolvimento econômico e social às localidades.

Conforme dados do governo estadual, sem disparar um tiro, policiais militares e civis apreenderam em uma semana mais de 300 quilos de drogas, removeram 27 toneladas de concreto e ferro usados para obstruir vias públicas e prenderam 48 pessoas. Nesse período, houve 34 ocorrências de repressão a atividades criminosas do tráfico e de milicianos que exercem influência em várias comunidades. Os policiais combatem também invasões de áreas sob proteção ambiental, construções clandestinas e comércio ilegal de gás de cozinha.

A ação integrada das forças de segurança na quarta-feira 1.300 policiais – 800 militares e 500 civis. À Polícia Militar cabe o patrulhamento ostensivo e à Civil, a investigação e o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. O número de agentes nas comunidades foi reduzido após a retomada dos territórios. As ações são monitoradas diariamente em tempo real pelo Centro Integrado de Comando e Controle.

O texto foi ampliado às 16h02

Edição: Nádia Franco

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Fuzis apreendidos no Rio de Janeiro.

Apreendidos fuzis que seriam vendidos à maior facção criminosa do Rio

Ação envolveu Polícia Civil e o Gaeco, do Ministério Público do Estado

Uma ação do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) em conjunto com a Polícia Civil, resultou na apreensão de 55 armas, entre elas 26 fuzis.

O arsenal foi localizado no sótão da casa de Vitor Furtado Rebollal Lopes, vulgo Bala 40, no Grajaú, zona norte do Rio. Além dos fuzis, o arsenal incluía AR15 e 5.56, carabinas, pistolas, dois revólveres, uma espingarda calibre 12, um rifle e um mosquetão, além de caixas com munições para os fuzis.

O MPRJ informou que Vitor Furtado se vale do certificado de colecionador de armas para adquirir material bélico licitamente em lojas legalizadas e revender para criminosos, especialmente integrantes da facção Comando Vermelho. Estima-se que o armamento encontrado na residência esteja avaliado em R$ 1,8 milhão.

“Essa é uma investigação que foi iniciada em 2018 e chamou a atenção o fato de que o Vitor se utiliza da possibilidade que a legislação faculta, de que colecionadores de armas possam comprar uma quantidade muito grande de armamentos, para, com o auxílio da sua companheira e de outros elementos, traficar armas para o tráfico de drogas em comunidades do Estado. Com a prisão do denunciado em Goiás, requisitamos ao juízo a expedição dos mandados de busca e apreensão e conseguimos realizar essa apreensão de um grande número de armas na residência do denunciado”, disse promotor de Justiça Romulo Santos, do Gaeco.

A ação teve por finalidade cumprir 20 mandados de prisão e de busca e apreensão contra denunciados por associação ao tráfico de drogas. Vitor Furtado foi preso ontem (24) em Goiás, transportando no interior de um utilitário um arsenal de 10 mil munições de calibre 5.56 e mil munições de calibre .308, todas destinadas à fuzis e carabinas de alto poder de fogo.

Denúncia e investigação

A denúncia que motivou a operação informa que os criminosos se associaram para a prática da venda de drogas em três pontos principais da região metropolitana do Rio de Janeiro: São Gonçalo (Complexo do Salgueiro, complexo da Almerinda e Morro da Viúva e no bairro Jardim Catarina), em Niterói (Morro do Preventório) e no Rio de Janeiro (comunidades do Jacarezinho, Rato Molhado, Morro do Engenho, Manguinhos, Complexo do Lins, Parque União e Fallet-Fogueteiro).

A investigação teve início em março de 2018, quando policiais civis da Delegacia de Combate às Drogas apreenderam no Complexo do Salgueiro drogas, aparelhos celulares e outros objetos.

Após minuciosa análise dos aparelhos e interceptações telefônicas, foi possível identificar os integrantes de alguns núcleos de atuação da facção Comando Vermelho, bem como delinear as suas funções na hierarquia do tráfico.

Todos os 20 denunciados têm papel relevante de comando, gerenciamento ou execução das atividades essenciais para o tráfico nos locais mencionados, em esquema violento e com domínio territorial e intimidação de comunidades.

Ainda segundo a denúncia, os membros da facção praticam outros delitos, além da venda de entorpecentes, como a compra e venda de armas de fogo e munições, execução de roubos coordenados, receptação de veículos e a prática de homicídios em série, dentre outros.

Os mandados de prisão e apreensão foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de São Gonçalo.

Nas redes sociais, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, comemorou a apreensão. “Acabo de receber um telefonema do secretário Allan Turnowski informando que a Polícia Civil encontrou um arsenal com 26 fuzis dentro de uma casa no Grajaú. Parabéns Polícia Civil por impedir que essas armas de guerra chegassem às mãos de criminosos. Investigação, inteligência e ação!”, escreveu o governador.

Edição: Denise Griesinger

Publicado em 25/01/2022 – 19:49 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Calçadão orla do Rio de Janeiro

Rio registra alta de 313% em internações e 172% em óbitos por covid-19

Governo trabalha para ampliar centros de testagem no estado

O Mapa de Risco da Covid-19 divulgado nesta sexta-feira (21) mostra que o estado do Rio de Janeiro voltou a ser classificado como bandeira laranja, o que indica risco moderado para covid-19. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, cinco das nove regiões de saúde do estado (Médio Paraíba, Centro Sul, Serrana, Norte e Noroeste) permanecem com risco baixo, a bandeira amarela. Já as regiões da Baía da Ilha Grande, Metropolitana I, Metropolitana II e Baixada Litorânea estão em bandeira laranja, com risco moderado para covid-19.

Os óbitos tiveram aumento de 172%, passando de 18, na semana epidemiológica 52, para 48, na semana epidemiológica 2. Já as internações passaram de 89, na semana epidemiológica 52, para 368, na semana epidemiológica 02, o que representa um aumento de 313%. 

Os indicadores apontaram que, no período de 11 a 18 de janeiro, a taxa de positividade para Sars-CoV-2 em testes RT-PCR foi de 55%. Nesta quinta-feira (20), a taxa de ocupação de leitos dedicados para casos de covid-19 é de 49% para unidades de tratamento intensivo (UTI), e 42% para enfermaria. 

O boletim indica que o aumento repentino na quantidade de resultados positivos dos testes para detecção de covid-19 foi identificado a partir de meados da 52ª semana epidemiológica (de 26 de dezembro a 01 de janeiro), quando o índice passou de 1,4%, no fim de dezembro, para mais de 20% nos primeiros dias de janeiro. 

“Ainda estamos observando um aumento na curva de casos de covid-19 por causa da circulação da variante Ômicron no estado. Essa é uma variante com alta taxa de transmissibilidade no mundo todo. Diante deste cenário, acionamos o nosso plano de contingência e já convertemos 54 leitos de enfermaria e 35 de UTI para pacientes com covid-19. Na próxima semana, serão mais 20”, informou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, que informou também que o governo trabalha para ampliar centros de testagem.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores: roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

Testagem

A secretaria esclarece que, neste sábado (22) e domingo (23) vão funcionar os postos de testagem para a covid-19 instalados nas Unidades de Pronto Atendimento de Bangu, Campo Grande II e Jacarepaguá, na Zona Oeste, e Tijuca, Penha e Marechal Hermes, na Zona Norte, além do Hospital Estadual Dr. Ricardo Cruz (HERCruz), em Nova Iguaçu. Os polos localizados no Iaserj e Centro de Atletismo Célio de Barros, no Maracanã, e nos PAMs de Cavalcanti e Coelho Neto e Policlínica Piquet Carneiro ficarão fechados, retornando o atendimento na segunda-feira (24).

O atendimento nesses locais é realizado exclusivamente por agendamento online. Caso a pessoa não possa comparecer, o sistema oferece a opção de desmarcar o teste, reduzindo, dessa forma, o número de faltas.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Publicado em 21/01/2022 – 22:26 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Carnaval da Sapucaí. Carro alegorico.

CARNAVAL ADIADO: Rio e São Paulo adiam desfile de carnaval para feriado de Tiradentes

Decisão veio com o aumento de casos de covid-19

Os prefeitos do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e de São Paulo, Ricardo Nunes, decidiram em reunião virtual nesta sexta-feira (21) adiar os desfiles das escolas de samba do carnaval nas duas cidades para o fim de semana do feriado de Tiradentes, em 21 de abril. A decisão foi uma orientação das secretarias de saúde das duas cidades e foi motivada pela explosão de casos da covid-19 causados pela variante Ômicron.

“A decisão foi tomada em respeito ao atual quadro da pandemia de covid-19 no Brasil e à necessidade de, neste momento, preservar vidas e somar forças para impulsionar a vacinação em todo o território nacional”, diz nota conjunta das prefeituras. A reunião contou com a presença dos prefeitos, dos secretários de Saúde e das ligas de escolas de samba das duas capitais.

No começo do mês, as capitais já haviam cancelado os blocos de rua por causa do aumento de casos de covid-19.

Escolas

Em nota divulgada após a decisão, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) diz que o adiamento era um dos cenários previstos. “Com a proximidade do evento, foi mais prudente adiar a festa, situação alinhada com as autoridades sanitárias estaduais e municipais”.

A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo disse em nota que reafirma o compromisso com as autoridades no combate à pandemia. “Acatamos, com a segurança de quem acredita na ciência, a decisão que vai priorizar o coletivo”.

Edição: Aline Leal

Publicado em 21/01/2022 – 21:38 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/