Imagem de repórte com pessoas atrás, no intuito de aparecerem na reportagem.

Os ‘Papagaios de pirata’ do Rio

Papagaios de pirata colecionam gafes e risos em reportagens de TV

A repórter acaba de se pentear. Está prestes a entrar ao vivo com imagens do Theatro Municipal do Rio, onde é velado o corpo da cantora Elza Soares. Os termômetros da praça da Cinelândia beiram os 40°C na manhã de sexta-feira (21).

Assim que ela inicia a transmissão, três senhores se posicionam estáticos ao fundo da imagem, do outro lado da calçada. São eles Nil Ramos Soares, 77; Oseias da Conceição, 51; e Célio Barreto, 74.

O trio é conhecido como “papagaios de pirata” do jornalismo televisivo. O termo é uma alusão a anônimos que fazem de tudo para aparecer como figurantes em reportagens de TV.

Nos anos 1990, o grupo era um sexteto que, com o tempo, foi se desfazendo (alguns faleceram) e se mantém atualmente como um trio de papagaios inquietos.

O pernambucano Nil Ramos Soares é o mais antigo em atividade. Está na cidade há mais de 50 anos e, há 30, se dedica a “sobrevoar” os repórteres de rua.

Nil é tão conhecido dos cariocas, que sempre interrompe suas caminhadas para fazer selfie ou cumprimentar quem o identifica. “Entro no ônibus e me chamam, ando até a padaria e me apontam, vou ao mercado e a caixa diz que me conhece de algum lugar. Adoro a fama, gosto de ser notado, me faz bem”, diz ele, com os parceiros Oseias e Célio a tiracolo.

Apenas Célio não é chegado a entrevistas. Os amigos ainda assim o incentivam ele a falar: “Para de besteira! Essa reportagem é toda só pra gente! Vai ter até foto”, diz Nil, o mais animado. “Sou tímido pra falar, meu negócio é aparecer”, responde Célio.

Vida de figurante

A paixão de Nil pela notoriedade começou, curiosamente, quando visitou uma estação de rádio, ainda em Recife. Tinha 14 anos quando foi a um programa matinal contar piadas. Ao voltar para casa, os vizinhos lhe parabenizaram. “Vi que era legal ser famoso e investi na carreira”, diz. “Mudei pro Rio e tirei DRT [registro] de ator. Pago até sindicato dos artistas. Quer dizer, deixei de pagar há três anos, porque fiquei apertado.”

Um dia, parou ao lado de um político, de que não lembra o nome, dando entrevista na rua. Era o começo dos anos 1990. Gostou da repercussão. Desde então, procura câmeras pelas ruas. É cheio de histórias. Hoje aposentado, conta que dançou com Adele Fátima em 1988 nos palcos da TV Record num especial de Natal; foi mordomo do José Wilker em “O homem da capa preta”, filme de 1986; fez figuração em “Os Trapalhões no reino da fantasia”, de 1985. E aparecia vendendo pães numa birosca na primeira versão de “O Sítio do Pica-Pau Amarelo”.

Sebastião Soares não é conhecido de ninguém, como foi registrado. Nil é nome artístico. Mesmo com 1,50m de altura, não passa incólume pelas câmeras. Está sempre de chapéu de veludo preto. “É pra lembrar do Waldick Soriano, meu ídolo, o cantor de ‘Eu não sou cachorro, não’. Mas pode ser também uma homenagem a Paulo Gustavo, porque é bom falar dele. Virou até nome de rua!”, diz, lacônico. Sem filhos, mora sozinho em Niterói (RJ).

Valmir Moratelli – Colaboração para o TAB, do Rio 27/01/2022 04h01

Fonte: https://tab.uol.com.br/noticias/

Fuzis apreendidos no Rio de Janeiro.

Apreendidos fuzis que seriam vendidos à maior facção criminosa do Rio

Ação envolveu Polícia Civil e o Gaeco, do Ministério Público do Estado

Uma ação do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) em conjunto com a Polícia Civil, resultou na apreensão de 55 armas, entre elas 26 fuzis.

O arsenal foi localizado no sótão da casa de Vitor Furtado Rebollal Lopes, vulgo Bala 40, no Grajaú, zona norte do Rio. Além dos fuzis, o arsenal incluía AR15 e 5.56, carabinas, pistolas, dois revólveres, uma espingarda calibre 12, um rifle e um mosquetão, além de caixas com munições para os fuzis.

O MPRJ informou que Vitor Furtado se vale do certificado de colecionador de armas para adquirir material bélico licitamente em lojas legalizadas e revender para criminosos, especialmente integrantes da facção Comando Vermelho. Estima-se que o armamento encontrado na residência esteja avaliado em R$ 1,8 milhão.

“Essa é uma investigação que foi iniciada em 2018 e chamou a atenção o fato de que o Vitor se utiliza da possibilidade que a legislação faculta, de que colecionadores de armas possam comprar uma quantidade muito grande de armamentos, para, com o auxílio da sua companheira e de outros elementos, traficar armas para o tráfico de drogas em comunidades do Estado. Com a prisão do denunciado em Goiás, requisitamos ao juízo a expedição dos mandados de busca e apreensão e conseguimos realizar essa apreensão de um grande número de armas na residência do denunciado”, disse promotor de Justiça Romulo Santos, do Gaeco.

A ação teve por finalidade cumprir 20 mandados de prisão e de busca e apreensão contra denunciados por associação ao tráfico de drogas. Vitor Furtado foi preso ontem (24) em Goiás, transportando no interior de um utilitário um arsenal de 10 mil munições de calibre 5.56 e mil munições de calibre .308, todas destinadas à fuzis e carabinas de alto poder de fogo.

Denúncia e investigação

A denúncia que motivou a operação informa que os criminosos se associaram para a prática da venda de drogas em três pontos principais da região metropolitana do Rio de Janeiro: São Gonçalo (Complexo do Salgueiro, complexo da Almerinda e Morro da Viúva e no bairro Jardim Catarina), em Niterói (Morro do Preventório) e no Rio de Janeiro (comunidades do Jacarezinho, Rato Molhado, Morro do Engenho, Manguinhos, Complexo do Lins, Parque União e Fallet-Fogueteiro).

A investigação teve início em março de 2018, quando policiais civis da Delegacia de Combate às Drogas apreenderam no Complexo do Salgueiro drogas, aparelhos celulares e outros objetos.

Após minuciosa análise dos aparelhos e interceptações telefônicas, foi possível identificar os integrantes de alguns núcleos de atuação da facção Comando Vermelho, bem como delinear as suas funções na hierarquia do tráfico.

Todos os 20 denunciados têm papel relevante de comando, gerenciamento ou execução das atividades essenciais para o tráfico nos locais mencionados, em esquema violento e com domínio territorial e intimidação de comunidades.

Ainda segundo a denúncia, os membros da facção praticam outros delitos, além da venda de entorpecentes, como a compra e venda de armas de fogo e munições, execução de roubos coordenados, receptação de veículos e a prática de homicídios em série, dentre outros.

Os mandados de prisão e apreensão foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de São Gonçalo.

Nas redes sociais, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, comemorou a apreensão. “Acabo de receber um telefonema do secretário Allan Turnowski informando que a Polícia Civil encontrou um arsenal com 26 fuzis dentro de uma casa no Grajaú. Parabéns Polícia Civil por impedir que essas armas de guerra chegassem às mãos de criminosos. Investigação, inteligência e ação!”, escreveu o governador.

Edição: Denise Griesinger

Publicado em 25/01/2022 – 19:49 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro. Explicando programa cidade integrada.

Governador detalha o programa Cidade Integrada

Programa deve substituir as Unidades de Polícia Pacificadora

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Publicado em 22/01/2022 – 16:22 Por Cristina Índio do Brasil – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Carnaval da Sapucaí. Carro alegorico.

CARNAVAL ADIADO: Rio e São Paulo adiam desfile de carnaval para feriado de Tiradentes

Decisão veio com o aumento de casos de covid-19

Os prefeitos do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e de São Paulo, Ricardo Nunes, decidiram em reunião virtual nesta sexta-feira (21) adiar os desfiles das escolas de samba do carnaval nas duas cidades para o fim de semana do feriado de Tiradentes, em 21 de abril. A decisão foi uma orientação das secretarias de saúde das duas cidades e foi motivada pela explosão de casos da covid-19 causados pela variante Ômicron.

“A decisão foi tomada em respeito ao atual quadro da pandemia de covid-19 no Brasil e à necessidade de, neste momento, preservar vidas e somar forças para impulsionar a vacinação em todo o território nacional”, diz nota conjunta das prefeituras. A reunião contou com a presença dos prefeitos, dos secretários de Saúde e das ligas de escolas de samba das duas capitais.

No começo do mês, as capitais já haviam cancelado os blocos de rua por causa do aumento de casos de covid-19.

Escolas

Em nota divulgada após a decisão, a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) diz que o adiamento era um dos cenários previstos. “Com a proximidade do evento, foi mais prudente adiar a festa, situação alinhada com as autoridades sanitárias estaduais e municipais”.

A Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo disse em nota que reafirma o compromisso com as autoridades no combate à pandemia. “Acatamos, com a segurança de quem acredita na ciência, a decisão que vai priorizar o coletivo”.

Edição: Aline Leal

Publicado em 21/01/2022 – 21:38 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/