Governador do Rio, Claudio Castro, acompanhando dragagem de córrego na favela do Jacar´ezinho.

Rio: obra de saneamento prevê remoção de 800 famílias do Jacarezinho

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

Cerca de 800 famílias, que vivem às margens dos rios Jacaré e Salgado, na comunidade do Jacarezinho, na zona norte do Rio, devem ser removidas do local no segundo semestre deste ano. Os moradores terão que sair por causa das obras de saneamento em andamento na região.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) iniciou na segunda-feira (24) intervenções de limpeza e de desassoreamento, com retirada de entulhos e materiais que obstruem o escoamento natural dos dois rios. As obras fazem parte do Programa Cidade Integrada que o governo do estado desenvolve no Jacarezinho e na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade.

Segundo o Inea, para o segundo semestre, estão previstas obras de canalização do Rio Salgado; urbanização do entorno, com criação de espaços públicos de lazer; calçamento; implantação de ciclovias e pavimentação dos espaços públicos que margeiam o rio. O Inea informa que, após essa fase, será discutido com a comunidade o melhor modelo de reassentamento.

O instituto informou que o número de famílias que vivem em áreas de risco e deverão ser removidas é uma estimativa inicial e que as dimensões da faixa marginal de proteção vão variar, embora boa parte dos pontos invadidos seja de 2,5 metros.

Em resposta à Agência Brasil, o instituto informou que, nos próximos dias, técnicos do estado vão visitar visitar cada imóvel para traçar o perfil socioeconômico dos moradores. O melhor modelo para indenizar as famílias, seja por reassentamento ou indenizações pelas benfeitorias, ainda será discutido com a comunidade, acrescentou o Inea.

Nos dois primeiros dias de limpeza e desassoreamento dos rios, a Secretaria de Estado do Ambiente e o Inea retiraram 150 toneladas de resíduos. Estão previstos gastos de R$ 147 milhões, e as obras devem ser concluídas em até 32 meses.

O secretário do Ambiente, Thiago Pampolha, disse que o Programa Cidade Integrada foi planejado para garantir qualidade de vida e segurança ambiental para a população. “A Secretaria do Ambiente e o Inea vão atuar para que os moradores não sofram mais com o impacto das chuvas na região”, afirmou.

Inclusão

O Programa Cidade Integrada também prevê atividades para crianças e jovens na região do Jacarezinho. Na área de cultura, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa  e a organização não governamental (ONG) Ação Social pela Música, assinaram termo de cooperação técnica que abre inscrições para aulas de música na sede da Orquestra da Biblioteca Parque de Manguinhos, onde poderão ser feitas as inscrições. Os interessados devem levar identidade, CPF e comprovante de residênci,a que pode ser em nome de pais ou responsáveis.

O objetivo do projeto de inclusão social é transformar a vida de crianças e jovens das comunidades. Promovido pela Ação Social pela Música, o projeto tem parceria com a operadora Claro, por meio da da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e apoio da Superintendência de Leitura e Conhecimento da Sececrj. A perspectiva é atender até 150 alunos com idade a partir de 10 anos.

A orquestra será formada por jovens das comunidade de Manguinhos, Jacarezinho e localidades do entorno, que terão aulas de teoria musical e aprenderão a tocar o instrumento escolhido.

Segundo a diretora e fundadora da Ação Social pela Música, Fiorella Solares, o projeto trabalha tanto na inclusão socioeducativa quanto na cultural. “Durante as oficinas, o aprendizado é realizado em grupo, para incentivar a interação social. Aliado às aulas de música, também garantimos reforço escolar aos alunos que precisam desse apoio. Nossa proposta é ocupar o tempo desses jovens para que eles não tenham sua trajetória desviada para o caminho errado”, acrescentou.

Apreensão

Além das obras do Cidade Integrada, continuam as ações de ocupação de território para combate ao tráfico de drogas no Jacarezinho, que também fazem parte do programa.

Ontem (25), policiais civis da 35ª Delegacia de Polícia (DP) apreenderam na comunidade cerca de 200 quilos de maconha e skunk, uma espécie mais forte de maconha. A droga foi localizada sob o telhado de um galpão abandonado nas proximidades do Campo do Abóbora, após levantamento de dados de inteligência. A ação teve apoio do Departamento Geral de Polícia Especializada e do Departamento Geral de Polícia da Capital.

Ocupação

Segundo o governador do Rio, Cláudio Castro, as ações operacionais conjuntas das polícias Militar e Civil no Jacarezinho e na Muzema, que começaram há uma semana, consolidaram a retomada de território nas duas comunidades e representam o primeiro passo para implantação do programa, além de garantir o direito de ir e vir de cerca de 50 mil moradores.

Castro disse que a ação das polícias possibilitou as primeiras intervenções urbanas pelos setores da administração para viabilizar o Programa Cidade Integrada, cujo objetivo é levar desenvolvimento econômico e social às localidades.

Conforme dados do governo estadual, sem disparar um tiro, policiais militares e civis apreenderam em uma semana mais de 300 quilos de drogas, removeram 27 toneladas de concreto e ferro usados para obstruir vias públicas e prenderam 48 pessoas. Nesse período, houve 34 ocorrências de repressão a atividades criminosas do tráfico e de milicianos que exercem influência em várias comunidades. Os policiais combatem também invasões de áreas sob proteção ambiental, construções clandestinas e comércio ilegal de gás de cozinha.

A ação integrada das forças de segurança na quarta-feira 1.300 policiais – 800 militares e 500 civis. À Polícia Militar cabe o patrulhamento ostensivo e à Civil, a investigação e o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. O número de agentes nas comunidades foi reduzido após a retomada dos territórios. As ações são monitoradas diariamente em tempo real pelo Centro Integrado de Comando e Controle.

O texto foi ampliado às 16h02

Edição: Nádia Franco

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro. Explicando programa cidade integrada.

Governador detalha o programa Cidade Integrada

Programa deve substituir as Unidades de Polícia Pacificadora

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Publicado em 22/01/2022 – 16:22 Por Cristina Índio do Brasil – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/