Fuzis apreendidos no Rio de Janeiro.

Apreendidos fuzis que seriam vendidos à maior facção criminosa do Rio

Ação envolveu Polícia Civil e o Gaeco, do Ministério Público do Estado

Uma ação do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) em conjunto com a Polícia Civil, resultou na apreensão de 55 armas, entre elas 26 fuzis.

O arsenal foi localizado no sótão da casa de Vitor Furtado Rebollal Lopes, vulgo Bala 40, no Grajaú, zona norte do Rio. Além dos fuzis, o arsenal incluía AR15 e 5.56, carabinas, pistolas, dois revólveres, uma espingarda calibre 12, um rifle e um mosquetão, além de caixas com munições para os fuzis.

O MPRJ informou que Vitor Furtado se vale do certificado de colecionador de armas para adquirir material bélico licitamente em lojas legalizadas e revender para criminosos, especialmente integrantes da facção Comando Vermelho. Estima-se que o armamento encontrado na residência esteja avaliado em R$ 1,8 milhão.

“Essa é uma investigação que foi iniciada em 2018 e chamou a atenção o fato de que o Vitor se utiliza da possibilidade que a legislação faculta, de que colecionadores de armas possam comprar uma quantidade muito grande de armamentos, para, com o auxílio da sua companheira e de outros elementos, traficar armas para o tráfico de drogas em comunidades do Estado. Com a prisão do denunciado em Goiás, requisitamos ao juízo a expedição dos mandados de busca e apreensão e conseguimos realizar essa apreensão de um grande número de armas na residência do denunciado”, disse promotor de Justiça Romulo Santos, do Gaeco.

A ação teve por finalidade cumprir 20 mandados de prisão e de busca e apreensão contra denunciados por associação ao tráfico de drogas. Vitor Furtado foi preso ontem (24) em Goiás, transportando no interior de um utilitário um arsenal de 10 mil munições de calibre 5.56 e mil munições de calibre .308, todas destinadas à fuzis e carabinas de alto poder de fogo.

Denúncia e investigação

A denúncia que motivou a operação informa que os criminosos se associaram para a prática da venda de drogas em três pontos principais da região metropolitana do Rio de Janeiro: São Gonçalo (Complexo do Salgueiro, complexo da Almerinda e Morro da Viúva e no bairro Jardim Catarina), em Niterói (Morro do Preventório) e no Rio de Janeiro (comunidades do Jacarezinho, Rato Molhado, Morro do Engenho, Manguinhos, Complexo do Lins, Parque União e Fallet-Fogueteiro).

A investigação teve início em março de 2018, quando policiais civis da Delegacia de Combate às Drogas apreenderam no Complexo do Salgueiro drogas, aparelhos celulares e outros objetos.

Após minuciosa análise dos aparelhos e interceptações telefônicas, foi possível identificar os integrantes de alguns núcleos de atuação da facção Comando Vermelho, bem como delinear as suas funções na hierarquia do tráfico.

Todos os 20 denunciados têm papel relevante de comando, gerenciamento ou execução das atividades essenciais para o tráfico nos locais mencionados, em esquema violento e com domínio territorial e intimidação de comunidades.

Ainda segundo a denúncia, os membros da facção praticam outros delitos, além da venda de entorpecentes, como a compra e venda de armas de fogo e munições, execução de roubos coordenados, receptação de veículos e a prática de homicídios em série, dentre outros.

Os mandados de prisão e apreensão foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal de São Gonçalo.

Nas redes sociais, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, comemorou a apreensão. “Acabo de receber um telefonema do secretário Allan Turnowski informando que a Polícia Civil encontrou um arsenal com 26 fuzis dentro de uma casa no Grajaú. Parabéns Polícia Civil por impedir que essas armas de guerra chegassem às mãos de criminosos. Investigação, inteligência e ação!”, escreveu o governador.

Edição: Denise Griesinger

Publicado em 25/01/2022 – 19:49 Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Vacinação contra o coronavírus.

Covid-19: casos em acompanhamento mais do que dobram em uma semana

Número de infectados desde o início da pandemia passa de 23,3 milhões

Os casos de covid-19 em acompanhamento mais que dobraram em uma semana. Segundo o Ministério da Saúde, há 1.761.197 casos da doença em acompanhamento no país. A expressão designa casos notificados nos últimos 14 dias em que os pacientes não tiveram alta, nem evoluíram para morte. Há uma semana, no dia 18, o total de pessoas nessa condição era menos da metade: 817.292 infectados.

Divulgada diariamente, a atualização do Ministério da Saúde consolida informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Os casos de covid-19 em acompanhamento mais que dobraram em uma semana. Segundo o Ministério da Saúde, há 1.761.197 casos da doença em acompanhamento no país. A expressão designa casos notificados nos últimos 14 dias em que os pacientes não tiveram alta, nem evoluíram para morte. Há uma semana, no dia 18, o total de pessoas nessa condição era menos da metade: 817.292 infectados.

Divulgada diariamente, a atualização do Ministério da Saúde consolida informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Os casos de covid-19 em acompanhamento mais que dobraram em uma semana. Segundo o Ministério da Saúde, há 1.761.197 casos da doença em acompanhamento no país. A expressão designa casos notificados nos últimos 14 dias em que os pacientes não tiveram alta, nem evoluíram para morte. Há uma semana, no dia 18, o total de pessoas nessa condição era menos da metade: 817.292 infectados.
Divulgada diariamente, a atualização do Ministério da Saúde consolida informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Com o avanço da doença puxado pela variante Ômicron, o Brasil chegou a 23.311.317 de infectados pelo coronavírus desde o início da pandemia. Novos diagnósticos confirmados de ontem para hoje foram 183.722. Ontem, o painel de informações da pandemia marcava 24.127.595 casos acumulados.

Já o número de pessoas que morreram por complicações da covid-19 chegou a 623.843. Em 24 horas, foram registradas 487 mortes. Ontem o sistema de informações registrava 623.356 óbitos em decorrência da doença.

Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde atualiza os números relativos à variante Ômicron no Brasil. – Ministério da Saúde

Vacina contra o Coronavírus

Até a data de ontem, dia 24 de janeiro de 2022, o Brasil já havia superado a marca de 70% da população vacinada, superior à proporção de vacinados no restante do planeta, que é de 52,6%.

Já foram aplicadas no país mais de 355 milhões de doses de vacina contra o coronavírus, estando 149 milhões de brasileiros totalmente vacinados.

Filósofo Olavo de Carvalho.

Olavo de Carvalho morreu, aos 74 anos, nos Estados Unidos

Informação foi dada pela família nas redes sociais

O filósofo e escritor Olavo de Carvalho morreu nessa segunda-feira (24), aos 74 anos, nos Estados Unidos, onde vivia. A informação foi dada pela família nas redes sociais do escritor. 

“Com grande pesar, a família do professor Olavo de Carvalho comunica sua morte na noite de 24 de janeiro, na região de Richmond, na Virgínia, onde se encontrava hospitalizado”.

Natural de Campinas, São Paulo, ele deixa a esposa, Roxane, oito filhos e 18 netos. A causa da morte não foi divulgada. Recentemente, Olavo esteve internado em hospital no Brasil com problemas cardíacos.

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do escritor. “Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do país, o filósofo e professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi gigante na luta pela liberdade e farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”, afirmou.

Edição: Graça Adjuto

Informação foi dada pela família nas redes sociais

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Notas de cem e duzentos reais.

Presidente sanciona Orçamento de 2022, com vetos

Valor total da despesa é de R$ 4,73 trilhões

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, o Orçamento de 2022 aprovado em dezembro pelo Congresso Nacional. O valor total da despesa – previsto na Lei 14.303, publicada no Diário Oficial da União de hoje (24) – é de R$ 4,73 trilhões. Deste total, R$ 1,88 trilhão tem como destino o refinanciamento da dívida pública federal.

O resultado primário previsto na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022 é de um déficit de R$ 79,3 bilhões, valor que encontra-se, segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República, “inferior à meta prevista na LDO-2022, correspondente aos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União, no valor de R$ 170,5 bilhões”.

“Essa projeção do resultado primário presente na LOA-2022 menor que aquela meta prevista na LDO-2022 decorre particularmente da elevação da estimativa de receitas primárias realizadas pelo Congresso Nacional”, informa a Secretaria.

A Secretaria ressalta que a LOA-2022 respeita o limite definido para despesas primárias previstas no teto de gastos. Ela contempla também “dotações suficientes para o atendimento das aplicações mínimas em ações e serviços públicos de saúde (R$ 139,9 bilhões) e na manutenção e desenvolvimento do ensino (R$ 62,8 bilhões)”; bem como a aprovação das Emendas Constitucionais que alteraram as regras dos precatórios, de forma a viabilizar os R$ 89,1 bilhões previstos para o programa Auxílio Brasil, que substituiu o Bolsa Família.

A LOA já considera também o novo critério de atualização dos limites individualizados do teto de gastos da União, que é de R$ 1,7 trilhão, tendo por base a projeção do IPCA de 10,18% ao ano.

“Cabe ainda mencionar que foi necessário vetar programações orçamentárias com intuito de ajustar despesas obrigatórias relacionadas às despesas de pessoal e encargos sociais. Nesse caso, será necessário, posteriormente, encaminhar projeto de lei de crédito adicional com o aproveitamento do espaço fiscal resultante dos vetos das programações”, detalha a Secretaria.

Os vetos presidenciais à proposta apresentada pelo Congresso Nacional, foram detalhados no despacho presidencial, também publicado hoje.

Edição: Denise Griesinger

Publicado em 24/01/2022 – 08:41 Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Brasília

https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Previdência Social inicia 2022 com desafio de zerar filas

INSS encerrou 2021 com 1,8 milhão de pedidos de benefícios em análise

A Previdência Social iniciou 2022 com o desafio de zerar as filas. No fim do ano passado, cerca de 1,8 milhão de brasileiros estava com pedidos de aposentadorias, pensões e auxílios em análise. A falta de servidores públicos para analisar os processos e a paralisação parcial de perícias médicas provocadas pela pandemia são os principais fatores.

Segundo levantamento recente do Instituto Brasileiro de Direitos Previdenciários (IBDP), 1.838.459 pedidos de benefícios aguardavam uma resposta em dezembro. A organização civil sem fins lucrativos obteve as respostas por meio de requerimento ao INSS.

Do total de pedidos em análise, cerca de 500 mil dizem respeito ao Benefício de Prestação Continuada (BPC) a pessoas com deficiência. Em relação às perícias médicas, o INSS informou ao IDBP que 457,8 mil segurados tinham consulta agendada em dezembro.

Por meio de um acordo homologado com o Supremo Tribunal Federal (STF), o INSS comprometeu-se a analisar os processos no prazo máximo de 30 a 90 dias, dependendo do tipo de benefício pedido, e a fazer as perícias médicas e de assistência social em até 45 dias, podendo chegar a 90 dias nos locais de difícil acesso. No fim de 2021, cerca de 900 mil processos estavam dentro do prazo e 900 mil com atraso em relação ao fixado pelo Supremo.

Ao assumir o cargo, em novembro, o presidente do INSS, José Carlos Oliveira, prometeu zerar a fila até julho deste ano. A promessa, no entanto, é ambiciosa.

Considerando o estoque de cerca de 900 mil processos em atraso, o INSS precisará analisar 131 mil pedidos extras por mês para eliminar a fila. Atualmente, o órgão recebe, em média, 800 mil pedidos por mês – entre entradas de benefícios, perícias e agendamentos – e processa cerca de 700 mil.

Histórico

O estoque de processos em análise estava em 2,3 milhões no fim de 2019. A fila caiu para 1,5 milhão em 2020, mas voltou a subir em 2021. Em resposta ao IBDP, o INSS informou que está implementando uma série de medidas para acelerar a análise dos processos, como investimento em automação, capacitação de funcionários e remanejamento de servidores de outras áreas para analisar os benefícios, elevando em 22% a capacidade de produção.

Segundo o INSS, 25% da fila deve-se à falta da apresentação de documentos pelos segurados. Em relação às perícias médicas, o órgão informou que havia conseguido diminuir em cerca de 300 mil o total de pessoas esperando consultas desde março do ano passado. Naquele mês, a lista de perícias agendadas estava em 764,2 mil.

Pandemia

O surgimento da variante Ômicron do novo coronavírus representou um obstáculo para zerar a fila das perícias. Há cerca de dez dias, o INSS suspendeu as perícias do Programa de Revisão dos Benefícios por Incapacidade, antigo auxílio-doença. As consultas suspensas foram remarcadas para o segundo semestre, e nenhum segurado deixará de receber o benefício, que continuará a ser pago normalmente até a revisão.

Paralelamente, o INSS tenta investir na telemedicina para manter o fluxo de perícias. O órgão editou uma portaria que autoriza consultas por videoconferência em dez municípios: Francisco Morato (SP), Minas Novas (MG), Vassouras (RJ), Santo Augusto (RS), Olhos D’Água das Flores (AL), Corrente (PI), Pedro Gomes (MS), Ji Paraná (RO), Lábrea (AM) e Botas de Macaúbas (BA). A experiência-piloto terá prazo de 90 dias.

Edição: Fábio Massalli

Publicado em 23/01/2022 – 15:14 Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Raio caindo sobre uma cidade edificada.

Média anual de raios deve subir de 77,8 para 100 milhões no Brasil

País se mantém na liderança de incidência de raios

O Brasil lidera o ranking de países com incidências de raios, com uma média de 77,8 milhões de registros por ano. O número, no entanto, é pequeno, se comparado ao total registrado nos dois últimos anos. Em 2021, caíram 154 milhões de raios em território brasileiro. Em 2020 foram 126 milhões. A expectativa é de que, ao final deste século, que a média brasileira seja de 100 milhões de raios por ano, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

De acordo com o coordenador do Grupo de Eletricidade Atmosféricas do Inpe, Osmar Pinto Júnior as mudanças climáticas influenciam esse fenômeno, uma vez que “tempestades e raios aumentam devido à umidade do ar e altas temperaturas”.

Ele acrescenta que a incidência fica ainda maior durante a primavera e o verão, temporada que é mais propícia para esse tipo de fenômeno.

A liderança brasileira no ranking de incidência de raios por ano não é pequena. O segundo lugar, ocupado pela República Democrática do Congo, onde incidem, anualmente, 43,2 milhões de raios. Em terceiro lugar estão os Estados Unidos, com 35 milhões de raios por ano, seguidos de Austrália (31,2 milhões de raios), China (28 milhões) e Índia (26,9 milhões).

Sobre a incidência de raios observada no final do século 21 no Brasil, o coordenador do Inpe explica que, segundo a literatura, ela foi feita a partir da relação dos raios com algumas condições meteorológicas previstas pelos Modelos Climáticos Globais (MCG).

“Estes modelos, diferentemente dos modelos meteorológicos rotineiramente utilizados na previsão do tempo, permitem estimar as condições meteorológicas para períodos mais distantes, da ordem de décadas. Para minimizar as incertezas nos resultados gerados pelo MCG, rodamos o modelo 12 vezes considerando pequenas diferenças na evolução das condições ambientais e calculamos a média dos resultados”, disse ele à Agência Brasil.

O estudo, acrescenta o coordenador, utiliza um cenário de emissões de gases do efeito estufa que “corresponde a não haver nenhuma mudança significativa nas emissões” nas próximas décadas, o que hoje parece, segundo ele, ser o mais provável.

“Neste cenário é esperado um aumento da temperatura média global de quatro graus Celsius até o final do século, em relação ao período de 1961 a 1990”, acrescenta. Ainda segundo o especialista, “o padrão geral da distribuição geográfica dos raios no país não deve se alterar até o final do século, com a região norte mantendo a maior incidência e a região nordeste a menor incidência”.

A expectativa é de que as maiores altas na ocorrência de raios ocorram na Região Norte (50%). Já a Região Nordeste deve sofrer pequeno crescimento (10%). “As demais regiões devem ter aumentos na ocorrência de raios entre 20% a 40%. Aumentos maiores podem ocorrer em pequenas regiões localizadas”, acrescentou.

“Dessa forma, a atual incidência de 70 milhões de raios por ano no país deve aumentar para 100 milhões de raios por ano”, completou.

Edição: Claudia Felczak

Publicado em 23/01/2022 – 16:14 Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Brasília

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Imagem de um smartphone com o aplicativo do PIX.

Banco Central: Vazados os dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais de acesso a pagamentos

Cerca de 160,1 mil clientes da Acesso Soluções de Pagamento tiveram dados das chaves Pix vazadas, informou hoje (21) o Banco Central (BC). Esse foi o segundo vazamento de dados desde o lançamento do sistema instantâneo de pagamentos, em novembro de 2020.

Segundo o BC, o vazamento ocorreu em dados cadastrais, que não afetam a movimentação de dinheiro. Dados protegidos pelo sigilo bancário, como saldos, senhas e extratos, não foram expostos.

O incidente ocorreu entre 3 e 5 de dezembro e expôs dados como nome de usuário, Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), instituição de relacionamento, número de agência e número da conta. Todas as pessoas que tiveram informações expostas serão avisadas por meio do aplicativo da Acesso ou do internet banking da instituição.

O Banco Central ressaltou que esses serão os únicos meios de aviso para a exposição das chaves Pix e pediu para os clientes desconsiderarem comunicações como chamadas telefônicas, SMS e avisos por aplicativos de mensagens e por e-mail.

A exposição de dados não significa necessariamente que todas as informações tenham vazado, mas que ficaram visíveis para terceiros durante algum tempo e podem ter sido capturadas. O BC informou que o caso será investigado e que sanções poderão ser aplicadas, como multa, suspensão ou até a exclusão da Acesso do sistema do Pix.

Resposta

Em nota, a Acesso Pagamentos esclareceu ter tomado medidas para garantir a segurança dos dados. “Reforçamos que tomamos, de forma tempestiva, todas as providências necessárias para garantir a segurança das informações mantidas pela companhia e o nosso compromisso em manter o mercado e nossos parceiros informados”, informou o comunicado.

A instituição de pagamentos orientou os clientes que forem comunicados do vazamento a ficarem atentos para possíveis golpes, como envios de links para falsos sites que capturem senhas bancárias. A Acesso ressaltou que os únicos canais oficiais de comunicação são o aplicativo e o site da empresa.

A Acesso é uma instituição de pagamento que oferece serviços como banco digital, plataformas para aplicações financeiras e cartões recarregáveis. Em agosto, ocorreu o vazamento de dados 414,5 mil chaves Pix por número telefônico do Banco do Estado de Sergipe (Banese). Assim como desta vez, na ocasião foram vazados dados cadastrais, sem a exposição de senhas e de saldos bancários.

Inicialmente, o BC tinha divulgado que o vazamento no Banese tinha atingido 395 mil chaves, mas o número foi revisado mais tarde. Por determinação da Lei Geral de Proteção de Dados, a autoridade monetária mantém uma página em que os cidadãos podem acompanhar incidentes relacionados com a chave Pix ou demais dados pessoais em poder do BC.

Edição: Aline Leal

Publicado em 21/01/2022 – 16:29 Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Volantes do jogo mega sena.

Sem ganhadores: Mega-Sena acumulada!

Estimativa da Caixa é de que próximo prêmio supere R$ 28 milhões

Ninguém acertou os seis números do concurso 2446 da Mega-Sena, sorteados neste sábado (22). Com isso, o prêmio ficou acumulado em R$ 21,96 milhões, e a estimativa da Caixa é de que o próximo concurso, dia 25, pague R$ 28,5 milhões.

Os números sorteados foram 1; 13; 27; 41; 51; 58. De acordo com a Caixa, 74 apostas acertaram cinco dos seis números sorteados. O prêmio pago a cada um deles ficou em R$ 41,3 mil. Já as 4.344 apostas que acertaram quatro números receberam prêmios de R$ 1.005.

A arrecadação total do concurso ficou em pouco mais de R$ 53 milhões – dinheiro que têm, como destino, além do pagamento do prêmio bruto (43,35%), a seguridade social (17,32%); diversos fundos (como o da Cultura, o Penitenciário Nacional e o de Segurança Pública), comitês, confederações e clubes esportivos.

As apostas para o próximo concurso podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do próximo sorteio (25), em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal. Uma aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Edição: Claudia Felczak

Publicado em 23/01/2022 – 11:02 Por Agência Brasil – Brasília

https://agenciabrasil.ebc.com.br/
Governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro. Explicando programa cidade integrada.

Governador detalha o programa Cidade Integrada

Programa deve substituir as Unidades de Polícia Pacificadora

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Mais de R$ 500 milhões deverão ser investidos no programa Cidade Integrada, que alia segurança pública a intervenções urbanísticas e sociais nas comunidades de Muzema e Jacarezinho, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito neste sábado, pelo governador Claudio Castro, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, 

As duas comunidades foram escolhidas por causa do avanço do tráfico de drogas com muitos confrontos no Jacarezinho e da milícia na Muzema. De acordo com o governador, só depois que o programa estiver plenamente em funcionamento nos dois locais é que o governo do estado pretende estender a outras comunidades.

Ações previstas

A regularização de propriedade, especialmente na comunidade da Muzema, onde há muita atividade da milícia na construção de moradias irregulares, é uma das ações previstas pelo programa. O Cidade Integrada contará com seis eixos de atuação: Social, Econômico, Infraestrutura, Transparência, Diálogo/Governança e Segurança. 

Um dos principais problemas nas comunidades do Rio, o saneamento de água no Jacarezinho terá o recadastramento das residências, a extensão da rede para regularizar o abastecimento, a revitalização do Reservatório do Azul, a ampliação da Tarifa Social e o reparo da rede. A concessionária vai começar o serviço na próxima segunda-feira (24). Para o tratamento de esgoto, outra carência nestas localidades, haverá a limpeza e desobstrução das canaletas, a recuperação da Estação Elevatória de Esgoto, a verificação das redes e levantamento cadastral, o reparo em toda a rede de esgoto e drenagem e a finalização do Tronco Coletor de Manguinhos.

O governador disse que uma das principais vertentes do Programa é acabar com a exploração de serviços públicos ou concessionados por parte da criminalidade como o fornecimento de gás e de internet. “A ideia é que isso seja 100% reestatizado e que nós possamos livrar a comunidade disso”, contou.

Para evitar a exploração de venda de gás pela milícia, o que ocorre em várias comunidades do estado, será concedido um vale gás referente ao valor do botijão. Castro revelou que já em negociação com as empresas que distribuem o produto. “A informação que chegou é que na comunidade [Jacarezinho] custa R$ 120, quando ele é R$ 80, ou seja, já um ágio enorme na cesta básica. Há um ágio enorme no material de construção, no gás e isso financia a criminalidade”, concluiu.

No prédio onde funcionou uma fábrica da General Electric (GE), que empregava muitos moradores do bairro do Jacarezinho serão instalados um mercado produtor; um Batalhão da PM; uma Unidade de Saúde, que está sendo articulada com a Prefeitura do Rio; um Parque urbano e uma vila olímpica. O Batalhão terá 400 policiais militares. De acordo com o governador, o efetivo será deslocado de Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) que já funcionam na região.

Linhas de crédito e geração de empregos

Na área econômica, está prevista a abertura de unidades da Agência de Fomento do Estado do Rio (AgeRio) com incentivos a microempreendedores locais. Uma linha de crédito de R$ 30 milhões do Programa Supera RJ estará disponível aos investidores a partir de fevereiro.

A geração de emprego local vai ser incentivada por meio da Casa do Trabalhador, com unidades em cada uma das duas comunidades oferecendo cursos de capacitação e parcerias institucionais. A criação de vagas pode ocorrer também nos novos polos de reciclagem para resíduos sólidos que serão instalados nas regiões. “O lixo é um problema real. Havia uma proibição da Comlurb entrar nas comunidades”, afirmou durante a apresentação do Programa.

Ações sociais

Ao custo de R$ 74 milhões serão construídos mercados produtores para a venda de hortifrutis com preços acessíveis. 

Na área social também será criado o programa Desenvolve Mulher destinado a duas mil mães e chefes de famílias com idade entre 16 e 30 anos, que vão receber um auxílio de R$300. Elas passarão por projetos de capacitação e de incentivo ao empreendedorismo com tutoras formadas pelo Banco da Providência. O investimento previsto é de R$ 34,5 milhões.

O projeto De Bem com a Vida vai investir R$ 2 milhões para beneficiar idosos fornecendo entretenimento e cuidados com a saúde física e mental. Nos espaços que serão instalados haverá atividades lúdicas, capacitação, inclusão digital e atendimento psicológico. O início do projeto será em fevereiro.

No Centro da Juventude a ideia é permitir a participação dos jovens em programas de desenvolvimento de jogos e em cursos de inclusão digital. A unidade do Jacarezinho será reformada e a da Muzema precisa ser construída. O investimento foi calculado em R$ 4 milhões e também vai começar em fevereiro.

Para combater o roubo de cabos e ao consumo de drogas nas margens das linhas ferroviárias, o Programa prevê a implantação de hortas comunitárias nos trilhos de trens na linha de Gramacho e ainda educação ambiental para crianças e jovens e cursos de educação em agroecologia.

As atividades esportivas ficarão por conta de núcleos com o fornecimento de materiais esportivos gratuitos e atendimento de 150 alunos por unidade, cada uma ao custo de R$ 145 mil.

No projeto Favela Criativa, o governo do estado prometeu lançar ainda este mês o edital de apoio a projetos culturais em comunidades no valor de R$ 2 milhões.

Reivindicações

O governador lembrou que na visita que fez ontem (21) à comunidade do Jacarezinho recebeu muitos pedidos dos moradores que pediram maior presença do Estado. Segundo Castro, o programa é extenso, vem sendo elaborado desde abril do ano passado e já prevê a volta de serviços que deixaram de ser fornecidos pelo poder público, o que permitiu o aumento da presença de traficantes no atendimento à população local.

Para atender à reivindicação dos moradores por mais interação com o poder público o eixo Diálogo/Governança será acompanhado pelo Comitê de Governança do Estado que reúne uma série de secretarias. A participação da população se dará com a instalação dos Conselhos Integrados que vão discutir essas políticas públicas. Serão 24 membros, metade deles são agentes públicos e a outra representantes da comunidade. “As associações de moradores que vão escolher as pessoas. A metodologia será decidida por eles inclusive. A ideia é que eles tenham a capacidade de ser ouvidos”, disse Castro.

Porta de entrada

Os Núcleos de Assistência ao Cidadão serão a porta de entrada dos serviços de assistência nas localidades. Com o Cidade Integrada vai haver a instalação de postos do Detran em fevereiro, onde a população poderá buscar os serviços de emissão de documentos como Carteira Nacional de Habilitação e de identidade. Além disso, os moradores vão ter informações sobre reciclagem de lixo e de internet.

Por meio do projeto RJ para Todos, nos dias 29/01, 05/02, 12/02 e 19/02 os moradores terão disponíveis a expedição de carteira de trabalho, o atendimento no Banco de empregos (SINE), a isenção para segunda via de documentos, a habilitação para casamento e a emissão de carteira de identidade.

Retomada das comunidades

Claudio Castro destacou que o início do programa ocorreu na quarta-feira (19) com a retomada territorial das duas comunidades. Segundo Castro, a operação, que contou com 1300 agentes, sendo 800 policiais militares e 500 policiais civis e resultou em 38 prisões. Segundo o governador a operação foi um sucesso e não houve confronto. Ele afirmou que a falta de aviso prévio às comunidades foi estratégica. “Nunca vi na vida dialogar na hora de ocupar. Isso é uma coisa estratégica da polícia e elas fizeram a intervenção de maneira correta”, disse.

Edição: Claudia Felczak

Publicado em 22/01/2022 – 16:22 Por Cristina Índio do Brasil – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

https://agenciabrasil.ebc.com.br/

Pessoa sendo testada por agente de saúde. Testagem de covid-a9.

Covid: Brasil bate recorde pelo 5º dia

Segundo o Ministério da Saúde, Brasil teve mais de 157 mil casos registrados de covid-19 nas últimas 24 horas

Pelo quinto dia seguido, a média móvel de casos conhecidos de covid-19 no Brasil bateu recorde, com 140.698 diagnósticos positivos em média nos últimos sete dias. Esse é o número mais alto da média móvel de casos conhecidos desde o começo da pandemia.

Com o avanço das infecções pela variante ômicron, que é mais transmissível, a média de casos conhecidos está em aceleração desde o 29 de dezembro. Hoje, a tendência de aceleração é de 324% na comparação com 14 dias atrás.

A média móvel é considerada a melhor forma de análise dos dados da pandemia porque corrige os números represados divulgado pelas secretarias de saúde aos fins de semana e feriados.

A média dos últimos sete dias é comparada com o mesmo índice de 14 dias atrás. Se ficar abaixo de -15%, indica tendência de queda; acima de 15%, aceleração; entre esses dois valores, estabilidade. Nas últimas 24 horas, foram notificados 202.466 novos testes positivos.

Fonte: https://noticias.uol.com.br/