Bomba de combustíveis ao lado de cana de açúcar.

GASOLINA CARA: Devemos retomar o programa Proálcool !

A escalada vertiginosa do preço da gasolina e demais combustíveis, trouxe novamente à tona a discussão sobre a necessidade, urgente, de focarmos em novas matrizes energéticas. O novo programa Proálcool pode ser a solução.

Palavra pró-álcool

Um novo programa Proálcool como solução ao preço da gasolina

Para reverter esse quadro, precisamos retomar o programa Proálcool, reduzindo assim a dependência brasileira dos combustíveis fósseis, sem prejuízo de avançarmos em outras matrizes energéticas limpas e renováveis, como os automóveis elétricos.

Para retomada do programa Proálcool, devemos promover as seguintes medidas:

  • Facilitação de crédito ao produtor rural, com juros baixos, que deseje vender a sua produção exclusivamente para a fabricação de etanol;
  • Subsídios e incentivos fiscais aos produtores de cana-de-açúcar, que produzam exclusivamente para fabricação do etanol;
  • Subsídios e incentivos fiscais para a instalação de novas usinas de beneficiamento do etanol;
  • Criação de empresa pública, de economia mista, para beneficiamento da cana-de-açúcar para a produção de etanol, que cuidará desde a produção da cana até o seu processamento na usina e a venda aos postos de combustíveis. Isso, caso não haja engajamento suficiente da cadeia produtiva do etanol.

A história do programa Proálcool no Brasil

No ano de 1975 surgia no Brasil o programa Proálcool, impulsionado por uma crise do petróleo mundial, como a que vivenciamos hoje. Com ele vieram subsídios do governo com vistas a impulsionar a produção de cana-de-açúcar, para a produção de álcool hidratado (etanol), além dos incentivos fiscais para produção de automóveis movidos com tal combustível.

O sucesso do programa foi tão grande que no ano de 1983 os automóveis mais vendidos eram aqueles movidos a etanol, tendo o seu ápice no ano de 1991, quando 60% dos automóveis nacionais eram movidos, exclusivamente, a etanol.

A partir daí ocorreram alguns contratempos no programa, como a queda na produção de cana-de-açúcar para fins de produção do álcool hidratado (etanol), impulsionado pela elevação do preço mundial do açúcar.

Ou seja, passou a ser bem mais vantajoso produzir açúcar do que álcool e o programa iniciou o seu declive, causando uma insegurança no consumidor que não sabia se teria combustível na bomba (etanol), para abastecer o seu automóvel, tampouco, se o valor desse combustível seria atrativo, vez que, para tanto, não poder ultrapassar a casa de 70% do valor da gasolina.

A partir do ano de 2003, parte do problema começou a ser equacionado, com o início da produção no Brasil de motores Flex, que podem rodar com gasolina, etanol ou, ainda, qualquer proporção da mistura de ambos os combustíveis, acalmando o temor do consumidor quanto a aquisição de um veículo movido exclusivamente a etanol.

Mesmo assim o gargalo do programa permaneceu, por conta da queda na produção da cana-de-açúcar para fins de produção de etanol e a falta de usinas que pudessem beneficiar o álcool hidratado, indo na contramão da disparada na moagem da cana-de-açúcar.

Assim, o programa iniciou uma queda vertiginosa, não despertando atenção dos governos que se sucederam, talvez por terem mudado o foco novamente para a matriz energética, frise-se, ultrapassada, do petróleo e a falsa promessa de do pré-sal.

Nosso País é hoje autossuficiente na produção de petróleo, mas não é autossuficiente na produção de combustíveis, como a gasolina e o diesel. Isso porque não temos refinarias de petróleo suficientes para beneficiar o petróleo.

Isso é algo inimaginável, quando se ouve a notícia que a Petrobrás teve lucro recorde de 106,6 bilhões de reais, no último ano de 2021. Por que a empresa não investe na construção de refinarias de petróleo? A quem interessa que fiquemos reféns de outros países, importando gasolina e óleo diesel, quando poderíamos estar produzindo os nossos próprios combustíveis e, ainda, exportá-los?

Tutor com a sua cadela, Pandora.

PANDORA: Cachorra foi encontrada

A cadela Pandora havia desaparecido em uma conexão, no aeroporto de Guarulhos

A cadela Pandora foi encontrada por seu tutor após 45 dias de desaparecimento. Para quem não se lembra do caso, a cadela Pandora desapareceu no momento de uma conexão de voo, no aeroporto de Guarulhos.

Ela acompanhava o seu tutor em uma viagem, quando a porta da caixa de transporte se abriu no momento em que a troca de aeronave estava ocorrendo. Cabe ressaltar que a cadela estava sob os cuidados da empresa aérea, quando o terrível fato ocorreu.

O tutor de Pandora chegou a mudar-se para o Estado de São Paulo, iniciando uma grande campanha de busca pela cadela.

Achei a minha filha. Não tenho palavras agora. Não estou nem conseguindo respirar!

Tutor de Pandora

Graças a Deus essa história teve um final feliz e, ao que parece, parte das companhias aéreas e demais trabalhadores dos aeroportos seguem tratando os pets como se bagagem fossem. Isso precisa mudar e deve ser feito através de regulamentação dos procedimentos de transporte de pets, no Brasil.

Mariano CLinger, foto.

MORRE O EX-PREFEITO DE VOLTA REDONDA, DR. CLINGER, AOS 88 ANOS DE IDADE

Clinger estava internado em um hospital particular e sofreu falência de múltiplos órgãos

O falecimento ocorreu na manhã desta quarta-feira (26). Dr. Clinger estava internado em um hospital particular, para tratar um câncer, tendo sido atestado como causa da morte a falência múltipla dos órgãos, deixando viúva e quatro filhos.

Muito querido e respeitado na cidade de Volta Redonda e em toda a Região, o Médico Marino Clinger Toledo Neto foi Prefeito de Volta Redonda, Vereador, Deputado Federal e Secretário Estadual de Agricultura além de coordenador estadual de CIRETRANS.

A Prefeitura de Volta Redonda decretou luto de 3 dias, em homenagem ao primeiro Prefeito eleito na cidade, após o regime militar.

“A primeira coisa que me vem à mente, ao lembrar do Dr. Clinger, é a humildade e serenidade com que ele me tratava, assim como à todos que tiveram o prazer de conhecê-lo. Não é só Volta Redonda que perde uma grande personalidade política, que ajudou a construir a história da cidade, mas sim, toda a raça humana, que perdeu um excelente exemplar.”

Paulo Cesar

O local e o horário de sepultamento ainda não havia sido informado pela família, até o fechamento desta matéria.

Paulo Cesar, o PC, em entrevista no Jornal A Voz da Cidade.

PC retorna ao Republicanos e é pré-candidato a deputado federal

BARRA MANSA

O Republicanos em Barra Mansa está com novo diretório. Paulo César, o PC é o presidente, acompanhado do professor Faustino como vice, Otoniel Alberto como secretário geral, Alexssandro Marcelino como tesoureiro e Eduardo Werneck como vogal. PC é pré-candidato a deputado federal e retornou ao Republicanos partido que ficou por dez anos antes de ir para outra legenda.

É a primeira vez que ele vem para disputa na Câmara Federal. Já se candidatou a vereador e a prefeito de Barra Mansa. Esse último cargo nas últimas eleições.

40 ANOS SEM REPRESENTAÇÃO EM BRASÍLIA

Sobre o que pensa se for eleito em Brasília PC traçou algumas bandeiras. A primeira seria a necessidade da região ter um representante em Brasília. “Ser um despachante. Não vejo atualmente quem consegue cumprir esse papel com proveito. Vejo pessoas passando tempo de mandato e efetivamente o que trouxeram para a região ou cidade? Não é só recurso. É bom relacionamento, caminhos entre ministérios, representar o estado. Temos essa lacuna no Sul Fluminense. E em Barra Mansa não temos um deputado federal eleito há 40 anos”, destacou.

REPRESENTANTE DOS PARAQUEDISTAS MILITARES

Outro ponto que trabalhará se eleito tem a ver com fato de ter sido militar por seis anos na brigada de infantaria paraquedista. Ele esclareceu que é um treinamento dado muito acima do que no Exército e os jovens que dão baixa são um prato cheio para serem usados no tráfico. “São assediados porque são altamente treinados. Minha ideia é um projeto de lei autorizativo para que o tempo na brigada conte como prova de título para os jovens que possam ter um além para contribuir em uma vaga de emprego. Tem também instituições reservistas militares que estão aptas a receberem emendas e quero ajudar a cuidar desses jovens para que não sejam desviados”, afirmou PC.

AUMENTO DO PRAZO DE VALIDADE DOS CONCURSOS PÚBLICOS

Outra bandeira que PC defende é a valorização de quem se dedica a prestar concurso público no país.  “Vou trabalhar em favor dos cidadãos que se esforçam, estudam e são responsáveis pelo bom funcionamento de nossas Instituições Públicas, os concurseiros. Entre as inúmeras ações que pretendo implementar, em um eventual mandato, posso citar um projeto de emenda à Constituição Federal, para alterar a redação do inciso III do artigo 37 da CF, que passaria de dois anos de validade do concurso, prorrogável por igual período, para mínimo de quatro anos prorrogado por mais quatro. A medida visa trazer economia ao erário público, bem como, facilitar a vida do concurseiro”, destaca, completando que ainda nessa temática, concurso público, pensa em criar uma legislação, a nível federal, que impeça a estipulação de cláusula de barreira aos aprovados.

“Todos, sem exceção, que atingirem a pontuação mínima exigida na prova objetiva e/ou discursiva, deverão passar para as próximas fases do concurso. A medida que são aprovados nas fases, têm que seguirem no certamente até o final, quando entrarão na lista dos aprovados do concurso e poderão ser chamados durante os próximos oito anos. Além disso, enquanto existir aprovados em uma lista ainda válida, não poderá haver concurso para aquele cargo.

MAIS DIREITOS AOS MOTOBOYS

PC ainda cita a classe dos motoboys. Destaca que atualmente existe uma legislação federal que prevê os deveres da classe, a Lei 12.009/09, mas que é omissa sobre os direitos dos mesmos, como carga horária máxima; carteira assinada; seguro de vida e de acidentes, entre inúmeros outros direitos.

Fonte: https://avozdacidade.com/wp/pc-retorna-ao-republicanos-e-e-pre-candidato-a-deputado-federal/

Imagem do Paulo Cesar falando sobre a Petrobras

PETROBRÁS: Somos todos reféns!

Somos reféns da Petrobrás! Nosso País é hoje autossuficiente na produção de petróleo, mas não é autossuficiente na produção de combustíveis, como a gasolina e o diesel. Isso porque não temos refinarias de petróleo suficientes para beneficiar o petróleo.

Isso é algo inimaginável, quando se ouve a notícia que a Petrobrás teve lucro recorde de 106,6 bilhões de reais, no último ano de 2021, e não se ouve falar que a empresa está estaria investindo, pesado, para a ampliação da capacidade das refinarias de petróleo já existente e construção de novas refinarias, por todo o País.

Por que a empresa não investe na construção de refinarias de petróleo? A quem interessa que fiquemos reféns de outros países, importando gasolina e óleo diesel, quando poderíamos estar produzindo os nossos próprios combustíveis e, ainda, exportá-los?

Se a Petrobrás não consegue responder essas questões, não adianta trocar o presidente da empresa, pois o problema persistirá.

A gigante empresa brasileira é uma espécie de Branca de Neve, só que sem príncipe para beijá-la. Quando finalmente acordar, se é que seja esta a sua intenção, a matriz energética em todo o restante do planeta não será mais o petróleo, vez que todo planeta busca novas fontes limpas de energia.

Se isso acontecer, de nada adiantará termo uma empresa de petróleo como a Petrobrás, pois assumiremos o papel de vilões do planeta.

Acorda Petrobrás, acordem brasileiros, senão iremos perder o time!

Homem carregando cachorro, em meio à lama pós-chuva, em Petrópolis.

PETRÓPOLIS: A tragédia anunciada

Gestores Públicos devem reabrir o debate sobre a ocupação desordenada do solo

A dor vivida pela cidade Imperial de Petrópolis é compartilhada por todo o nosso povo brasileiro. A tragédia, que tempos em tempos se repete, tem que abrir novo debate sobre a ocupação desordenada do solo e suas consequências.

Assim como Petrópolis, inúmeras cidades fluminenses possuem áreas de extremo risco de deslizamento de encostas. Muitas já sofrem como a mínima ocorrência de chuva, o que dirá com uma chuva torrencial, como a ocorrida do último dia 15, em Petrópolis.

A ocupação desordenada do solo é responsável pelos maiores impactos das chuvas. Se por um lado essa ocupação é problema que vem de décadas atrás, a solução para o problema pode e deve ter início hoje. Temos que reabrir o debate sobre as possíveis soluções que, ao menos, amenizem os riscos de novas tragédias, já anunciadas.

Até quando a população deverá continuar contando com a sorte e não com as ações prévias dos gestores públicos?Até quando choraremos tragédias como a de Petrópolis?

Por mais ações e menos omissões do poder público!

RÚSSIA: Petróleo sobe 3%

Putin já teria dado a ordem de invasão da Ucrânia

O preço do petróleo mundial aumentou mais de 3% nesta sexta-feira (11). A commodity operou em alta durante quase todo o dia, e ganhou forte impulso após relatos na imprensa dos EUA de que autoridades do país esperam que a Rússia invada a Ucrânia na semana que vem.

Mais cedo, um relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), que citou riscos à oferta global, puxou o óleo para território positivo no mercado futuro.

A tendência de aumento do petróleo seguirá enquanto a tensão da possível invasão da Ucrânia, pela Rússia, não diminuir.

Autoridades Americanas orientaram que seus cidadãos deixem a Ucrânia.

Imagem de luta entre uma vítima de tentativa de homicídio e seu agressor.

TENTATIVA DE HOMICÍDIO: Advogada luta pela vida

Advogada da cidade de Campos dos Goytacazes-RJ, lutou com agressor e conseguiu salvar sua própria vida

O caso ocorreu no interior do escritório da Advogada Nayara Gilda Acha Prestes, na tarde de ontem (26), em Campos dos Goytacazes-RJ. A advogada lutou com o seu agressor e conseguiu evitar o pior. Mesmo assim, a Dra. Nayara Prestes foi baleada nas mãos, no tórax e braço, pelos disparos de arma de fogo, realizados com um revólver calibre 38 (Veja o vídeo abaixo).

A tentativa de homicídio foi executada por um cliente insatisfeito com processo de inventário ajuizado pela advogada. Como o escritório se localiza no interior de um Shopping da cidade de Campos, a Advogada conseguiu fugir e chamar por ajuda, sendo o agressor preso em flagrante por policiais militares, quando ainda estava com a arma do crime nas mãos.

O autor dos disparos de arma de fogo, que ainda não teve o seu nome divulgado, foi levado para a 134ª Delegacia de Polícia, onde o caso será investigado.

Paulo Cesar

Imagem de repórte com pessoas atrás, no intuito de aparecerem na reportagem.

Os ‘Papagaios de pirata’ do Rio

Papagaios de pirata colecionam gafes e risos em reportagens de TV

A repórter acaba de se pentear. Está prestes a entrar ao vivo com imagens do Theatro Municipal do Rio, onde é velado o corpo da cantora Elza Soares. Os termômetros da praça da Cinelândia beiram os 40°C na manhã de sexta-feira (21).

Assim que ela inicia a transmissão, três senhores se posicionam estáticos ao fundo da imagem, do outro lado da calçada. São eles Nil Ramos Soares, 77; Oseias da Conceição, 51; e Célio Barreto, 74.

O trio é conhecido como “papagaios de pirata” do jornalismo televisivo. O termo é uma alusão a anônimos que fazem de tudo para aparecer como figurantes em reportagens de TV.

Nos anos 1990, o grupo era um sexteto que, com o tempo, foi se desfazendo (alguns faleceram) e se mantém atualmente como um trio de papagaios inquietos.

O pernambucano Nil Ramos Soares é o mais antigo em atividade. Está na cidade há mais de 50 anos e, há 30, se dedica a “sobrevoar” os repórteres de rua.

Nil é tão conhecido dos cariocas, que sempre interrompe suas caminhadas para fazer selfie ou cumprimentar quem o identifica. “Entro no ônibus e me chamam, ando até a padaria e me apontam, vou ao mercado e a caixa diz que me conhece de algum lugar. Adoro a fama, gosto de ser notado, me faz bem”, diz ele, com os parceiros Oseias e Célio a tiracolo.

Apenas Célio não é chegado a entrevistas. Os amigos ainda assim o incentivam ele a falar: “Para de besteira! Essa reportagem é toda só pra gente! Vai ter até foto”, diz Nil, o mais animado. “Sou tímido pra falar, meu negócio é aparecer”, responde Célio.

Vida de figurante

A paixão de Nil pela notoriedade começou, curiosamente, quando visitou uma estação de rádio, ainda em Recife. Tinha 14 anos quando foi a um programa matinal contar piadas. Ao voltar para casa, os vizinhos lhe parabenizaram. “Vi que era legal ser famoso e investi na carreira”, diz. “Mudei pro Rio e tirei DRT [registro] de ator. Pago até sindicato dos artistas. Quer dizer, deixei de pagar há três anos, porque fiquei apertado.”

Um dia, parou ao lado de um político, de que não lembra o nome, dando entrevista na rua. Era o começo dos anos 1990. Gostou da repercussão. Desde então, procura câmeras pelas ruas. É cheio de histórias. Hoje aposentado, conta que dançou com Adele Fátima em 1988 nos palcos da TV Record num especial de Natal; foi mordomo do José Wilker em “O homem da capa preta”, filme de 1986; fez figuração em “Os Trapalhões no reino da fantasia”, de 1985. E aparecia vendendo pães numa birosca na primeira versão de “O Sítio do Pica-Pau Amarelo”.

Sebastião Soares não é conhecido de ninguém, como foi registrado. Nil é nome artístico. Mesmo com 1,50m de altura, não passa incólume pelas câmeras. Está sempre de chapéu de veludo preto. “É pra lembrar do Waldick Soriano, meu ídolo, o cantor de ‘Eu não sou cachorro, não’. Mas pode ser também uma homenagem a Paulo Gustavo, porque é bom falar dele. Virou até nome de rua!”, diz, lacônico. Sem filhos, mora sozinho em Niterói (RJ).

Valmir Moratelli – Colaboração para o TAB, do Rio 27/01/2022 04h01

Fonte: https://tab.uol.com.br/noticias/

Governador do Rio, Claudio Castro, acompanhando dragagem de córrego na favela do Jacar´ezinho.

Rio: obra de saneamento prevê remoção de 800 famílias do Jacarezinho

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

Cerca de 800 famílias, que vivem às margens dos rios Jacaré e Salgado, na comunidade do Jacarezinho, na zona norte do Rio, devem ser removidas do local no segundo semestre deste ano. Os moradores terão que sair por causa das obras de saneamento em andamento na região.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) iniciou na segunda-feira (24) intervenções de limpeza e de desassoreamento, com retirada de entulhos e materiais que obstruem o escoamento natural dos dois rios. As obras fazem parte do Programa Cidade Integrada que o governo do estado desenvolve no Jacarezinho e na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade.

Segundo o Inea, para o segundo semestre, estão previstas obras de canalização do Rio Salgado; urbanização do entorno, com criação de espaços públicos de lazer; calçamento; implantação de ciclovias e pavimentação dos espaços públicos que margeiam o rio. O Inea informa que, após essa fase, será discutido com a comunidade o melhor modelo de reassentamento.

O instituto informou que o número de famílias que vivem em áreas de risco e deverão ser removidas é uma estimativa inicial e que as dimensões da faixa marginal de proteção vão variar, embora boa parte dos pontos invadidos seja de 2,5 metros.

Em resposta à Agência Brasil, o instituto informou que, nos próximos dias, técnicos do estado vão visitar visitar cada imóvel para traçar o perfil socioeconômico dos moradores. O melhor modelo para indenizar as famílias, seja por reassentamento ou indenizações pelas benfeitorias, ainda será discutido com a comunidade, acrescentou o Inea.

Nos dois primeiros dias de limpeza e desassoreamento dos rios, a Secretaria de Estado do Ambiente e o Inea retiraram 150 toneladas de resíduos. Estão previstos gastos de R$ 147 milhões, e as obras devem ser concluídas em até 32 meses.

O secretário do Ambiente, Thiago Pampolha, disse que o Programa Cidade Integrada foi planejado para garantir qualidade de vida e segurança ambiental para a população. “A Secretaria do Ambiente e o Inea vão atuar para que os moradores não sofram mais com o impacto das chuvas na região”, afirmou.

Inclusão

O Programa Cidade Integrada também prevê atividades para crianças e jovens na região do Jacarezinho. Na área de cultura, a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa  e a organização não governamental (ONG) Ação Social pela Música, assinaram termo de cooperação técnica que abre inscrições para aulas de música na sede da Orquestra da Biblioteca Parque de Manguinhos, onde poderão ser feitas as inscrições. Os interessados devem levar identidade, CPF e comprovante de residênci,a que pode ser em nome de pais ou responsáveis.

O objetivo do projeto de inclusão social é transformar a vida de crianças e jovens das comunidades. Promovido pela Ação Social pela Música, o projeto tem parceria com a operadora Claro, por meio da da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e apoio da Superintendência de Leitura e Conhecimento da Sececrj. A perspectiva é atender até 150 alunos com idade a partir de 10 anos.

A orquestra será formada por jovens das comunidade de Manguinhos, Jacarezinho e localidades do entorno, que terão aulas de teoria musical e aprenderão a tocar o instrumento escolhido.

Segundo a diretora e fundadora da Ação Social pela Música, Fiorella Solares, o projeto trabalha tanto na inclusão socioeducativa quanto na cultural. “Durante as oficinas, o aprendizado é realizado em grupo, para incentivar a interação social. Aliado às aulas de música, também garantimos reforço escolar aos alunos que precisam desse apoio. Nossa proposta é ocupar o tempo desses jovens para que eles não tenham sua trajetória desviada para o caminho errado”, acrescentou.

Apreensão

Além das obras do Cidade Integrada, continuam as ações de ocupação de território para combate ao tráfico de drogas no Jacarezinho, que também fazem parte do programa.

Ontem (25), policiais civis da 35ª Delegacia de Polícia (DP) apreenderam na comunidade cerca de 200 quilos de maconha e skunk, uma espécie mais forte de maconha. A droga foi localizada sob o telhado de um galpão abandonado nas proximidades do Campo do Abóbora, após levantamento de dados de inteligência. A ação teve apoio do Departamento Geral de Polícia Especializada e do Departamento Geral de Polícia da Capital.

Ocupação

Segundo o governador do Rio, Cláudio Castro, as ações operacionais conjuntas das polícias Militar e Civil no Jacarezinho e na Muzema, que começaram há uma semana, consolidaram a retomada de território nas duas comunidades e representam o primeiro passo para implantação do programa, além de garantir o direito de ir e vir de cerca de 50 mil moradores.

Castro disse que a ação das polícias possibilitou as primeiras intervenções urbanas pelos setores da administração para viabilizar o Programa Cidade Integrada, cujo objetivo é levar desenvolvimento econômico e social às localidades.

Conforme dados do governo estadual, sem disparar um tiro, policiais militares e civis apreenderam em uma semana mais de 300 quilos de drogas, removeram 27 toneladas de concreto e ferro usados para obstruir vias públicas e prenderam 48 pessoas. Nesse período, houve 34 ocorrências de repressão a atividades criminosas do tráfico e de milicianos que exercem influência em várias comunidades. Os policiais combatem também invasões de áreas sob proteção ambiental, construções clandestinas e comércio ilegal de gás de cozinha.

A ação integrada das forças de segurança na quarta-feira 1.300 policiais – 800 militares e 500 civis. À Polícia Militar cabe o patrulhamento ostensivo e à Civil, a investigação e o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. O número de agentes nas comunidades foi reduzido após a retomada dos territórios. As ações são monitoradas diariamente em tempo real pelo Centro Integrado de Comando e Controle.

O texto foi ampliado às 16h02

Edição: Nádia Franco

Moradores que serão retirados vivem em áreas de risco na comunidade

https://agenciabrasil.ebc.com.br/