Imagem de Marco San

Marco San: Da favela aos palácios, dois “paços”.

Da favela aos palácios há uma longa jornada a ser percorrida, caminho esse conhecido e dignamente trilhado pelo menino pobre do Jacaré. Hoje, San é um cientista social respeitado no meio político fluminense e responsável pelo sucesso de relevantes campanhas políticas, como as que levaram o Ex-atleta de futebol, Romário, a ocupar uma das cadeiras da Câmara Federal e do Senado.

Foi na UERJ que encontrei o caminho que realmente se mostrou uma missão de vida. Um verdadeiro caldeirão de ideias e vieses políticos.

Marco San

Quem é Marco San?

Marcos Antonio Teixeira, ou Marco San como é conhecido no meio político, chegou à cidade do Rio de Janeiro aos 12 anos de idade, vindo do Estado do Piauí diretamente para uma das comunidades da Zona Norte carioca.

Favela do Jacaré

Todas as adversidades sociais enfrentadas não foram capazes de impedir que San vencesse na vida por seus próprios méritos, chegando a ingressar na UERJ após passar em concorrido vestibular.

A UERJ, verdadeiro caldeirão de pensamentos políticos, foi o estopim a despertar no então jovem San o olhar aguçado para a política. Fundada no dia 11 de maio de 1935, a instituição ostenta em seus retratos figuras renomadas da Justiça brasileira, do meio literário, artístico e cultural.

UERJ

Cargos que ocupou

Entre os últimos cargos políticos que ocupou, estão os cargos de Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência e Tecnologia do município do Rio de Janeiro e de Superintendente da Secretaria Estadual do Trabalho do RJ.

Secretaria de Governo do Estado do RJ, sendo também pré-candidato a uma das cadeiras da ALERJ, nas próximas eleições de 2022.

Já coordenei a escalada política de várias figuras públicas. Vejo que é chegada a hora de trilhar o meu próprio caminho. Me sinto preparado e motivado para este novo desafio e pretendo lançar mão do conhecimento e relacionamento político que construí durante esses mais de 32 anos que estou na política.

Marco San

Nova legenda partidária

Da favela do Jacaré, passando pelo Palácio da Cidade do Rio de Janeiro, sede do Governo Municipal e atualmente pelo Palácio Guanabara, sede do Governo Estadual do RJ, já tendo escolhido a legenda que concorrerá no próximo pleito, o REPUBLICANOS, Marco San segue a sua jornada focado em ocupar uma das 70 cadeiras da Casa Legislativa Estadual.


  • Paço. Sinônimo: Habitação suntuosa para a realeza ou o episcopado; palácio.

Paulo Cesar está analisando saída do Podemos

“Estou a procura de legenda partidária que realmente aposte na nova política. Sem conchavos, sem esquemas e o mais importante, que me dê sustentação para alçar voos mais altos.”

Paulo Cesar

Paulo Cesar, ainda filiado ao Podemos, foi candidato a Prefeito pelo município de Barra Mansa, no último pleito eleitoral. Acreditando no projeto de expansão da legenda no Estado do Rio de Janeiro, aceitou o desafio de se lançar candidato à chefia do poder executivo municipal pela legenda então liderada pelo Senador Romário.

“Foi uma decepção! A legenda me propôs um projeto a longo prazo, onde eu teria liberdade para me lançar candidato a Prefeito e seguir avançando, junto com a legenda. Porém, no momento crucial, recebi do Senador Romário a notícia de que na verdade nada podíamos”, pontuou Paulo Cesar.

Logo após o término do pleito eleitoral municipal, o próprio Senador Romário trocou o seu passe para o PL fluminense, deixando a legenda acéfala no Estado. Nem a vinda do Sérgio Moro, badalado pré-candidato a Presidência da República, foi capaz de motivar Paulo Cesar a seguir caminhando com a legenda.

“Infelizmente de bom e novo mesmo na legenda, só o nome. No mais, o que vemos é um museu de grandes novidades. Em nosso Estado a legenda está muito aquém do que minimamente se espera, caminhando para não eleger um Deputado que seja, no próximo pleito eleitoral. Para complicar ainda mais a situação, na Região Sul Fluminense a legenda está no comando de um político que não entendeu, até hoje, que não possui qualquer expressão política e que sua ascensão foi fruto da rejeição alheia, mesmo motivo de sua queda”, finalizou Paulo Cesar.